Mark Zuckerberg, criador do Facebook, está sendo processado por fraudes financeiras. Isso porque ele e outros executivos do Facebook não teriam um cumprido um acordo extrajudicial, onde precisariam pagar US$ 65 milhões aos proprietários de uma rede social concorrente a sua.

Segundo o site VentureBeat, Divya Narendra e os irmãos Tyler e Cameron Winklevoss contrataram Zuckerberg para trabalhar em uma rede social chamada ConnectU, quando ele e seus colegas ainda eram estudantes de Harvard. Isso para evitar que Mark usasse o código do ConnectU em seu próprio projeto, então chamado de TheFacebook.

A história dos querelantes ganhou credibilidade depois que eles exibiram à imprensa, mensagens instantâneas enviadas por Zuckerberg, se vangloriando de seu sucesso e de tê-los enganados.

A partir daí, Facebook e ConnectU entraram em litígio e, em 2008, chegaram a um acordo preliminar no valor de US$ 65 milhões, a serem pagos por Zuckerberg. No entanto, Narendra e os irmãos Winklevoss afirmam que o acordo nunca foi finalizado e que o juiz da época ainda procedeu de forma incorreta, ao transferir os termos de propriedade do ConnectU ao Facebook.

Agora,  os proprietários do ConnectU contrataram a firma de advocacia Boies, Schiller & Flexner – famosos por um processo antitruste contra a Microsoft – para dar continuidade ao processo. O juiz James Ware, da Corte de Apelações de Ninth Circuit, vai ouvir os argumentos de ambos os lados, em uma nova ação, sem data definida para ser julgada.

O Facebook preferiu não comentar o assunto.

Para visualizar o processo em questão (em PDF),clique aqui.

Fonte: http://idgnow.uol.com.br/internet/2010/05/20/criador-do-facebook-e-processado-por-fraude-financeira/