A reclusa Coreia do Norte desenvolveu seu próprio sistema operacional para computadores, focado em segurança. Ele é fortemente inspirado em antigos programas da Microsoft e cerca de 10 anos defasado.

O país é um dos mais isolados do mundo e tenta cortar o fluxo de informação vindo do exterior. A Coreia do Norte ensina internet aos estudantes do país por meio de imagens de telas de computadores impressas em papel.

O sistema operacional, cujo nome significa “Estrela Vermelha”, usa a língua coreana e não deve chegar aos computadores fora do país tão cedo, relatou um órgão de estudo do governo da Coreia do Sul nesta terça-feira (6).

“Devido aos poucos aplicativos e programas disponíveis, o Estrela Vermelha mal será distribuído na Coreia do Norte”, afirma o Instituto de Ciência e Tecnologia depois de obter uma análise detalhada do software.

“A Coreia do Norte criou um sistema operacional com o qual pode controlar a segurança de sua própria informação”, completa o relato.

Os poucos civis norte-coreanos com acesso à internet só podem ver os poucos sites aprovados pela censura do país.

Pyongyang também lançou uma unidade de guerra cibernética que visa sites em computadores sul-coreanos, norte-americanos e de outros lugares que se tornarem foco de crescente preocupação dos poderes regionais, afirmam representantes de serviços de inteligência.

O Estrela Vermelha é baseado em Linux, apesar de inspirado em versões antigas de programas da Microsoft. Ele possui programas de processamento de texto, planilha e apresentação. O sistema usa um calendário próprio da Coreia do Norte, que começa a contar os anos a partir do nascimento do fundador do Estado, Kim Il-sung.

Fonte: http://www1.folha.uol.com.br/folha/informatica/ult124u716815.shtml