O acordo anunciado hoje (19/4) entre aHitachi e a Microsoft para o desenvolvimento conjunto de soluções de virtualização é, segundo a  Hitachi, uma resposta das fabricantes ao lançamento do VBlock, da joint-venture Acadia. Mas, de acordo com o analista da consultoria IDC, Reinaldo Roveri, a parceria pode significar também mais uma etapa dos planos da Microsoft de construir um ecossistema para que suas soluções estejam mais amparadas no mercado.

Para o analista, o fato de a Hitachi ser uma OEM (Original Equipment Manufacturer) da HP para alguns equipamentos, principalmente os de ponta, reforça essa ideia. A Microsoft e a HP estão investindo 250 milhões de dólares em desenvolvimento conjunto também mirando o mercado de virtualização, além de cloud computing. “Como a Hitachi é um player muito importante na área de storage e já tem laços com a HP, é natural que essa parceria venha a ocorrer. As novas tecnologias da HP de rede, com a aquisição da 3Com, fecham o ciclo”, afirma.

Segundo Roveri, embora seja muito improvável que a parceria traga mudanças estruturais na maneira como as duas empresas se posicionam no mercado, há uma mensagem clara para o mercado. “As companhias querem mostrar que há intenções de cooperar e desenvolver interoperabilidade entre suas tecnologias”, completa.

De acordo com o gerente de marketing para Windows Server e Virtualização da Microsoft Brasil, Danilo Bordini, as duas parcerias COM HP e Hitachi) de fato fazem parte da estratégia de expandir a interoperabilidade entre sistemas, mas foram firmadas para lançamentos separados no mercado. “Será uma solução de virtualização com foco em atender clientes que exigem grande poder de processamento”, explica. Bordini confirma que o produto desenvolvimetno concorre com a Acadia na área de soluções integradas. “Nossa meta é ser competitivo nesse mercado e dar opção de escolha aos clientes”, afirma.

Nessas parcerias, segundo Roveri, as duas empresas sairiam com vantagens: enquanto a Microsoft poderia ganhar mais penetração no mercado de telecomunicações, no qual a Hitachi tem força, esta se beneficiaria do leque de parcerias e da penetração no mercado de TI que a Microsoft já possui. Bordini confirma. “As empresas de Telecom estão procurando soluções como a que estamos desenvolvendo e a parceria é interessante para fortalecer a presença nesse mercado”.

Fonte: http://computerworld.uol.com.br/negocios/2010/04/19/analise-com-hitachi-microsoft-quer-completar-seu-ecossistema/