Adobe anunciou nesta manhã os detalhes oficiais da Creative Suite 5, a mais nova geração da sua linha de aplicativos profissionais para web, vídeo e design. Os novos pacotes de softwares da empresa para esses mercados vão além de oferecer mais recursos e maior interatividade para os criadores de conteúdo, mas também chegam para oferecer maior performance nas suas tarefas diárias, além de maximizar o impacto de seus projetos em múltiplos aparelhos — ou “telas”, seguindo os mais recentes propósitos da Adobe.

No total, a Creative Suite oferece 15 aplicativos profissionais completamente renovados para diferentes áreas de atuação de designers e desenvolvedores, divididos em cinco edições que se adaptam da melhor forma possível às suas necessidades. Segundo a criadora dos softwares, mais de 250 recursos estão disponíveis entre todos eles, sendo a maior parte fácil de encontrarnos produtos mais populares da empresa — incluindo Dreamweaver, InDesign, Illustrator, Flash Professional, After Effects, Premiere Pro e Photoshop.

Desses, os três últimos citados acima foram portados para 64 bits no Mac OS X, tirando proveito das funções aprimoradas dos processadores modernos para oferecer um fluxo de trabalho eficiente em projetos de alta definição. Com o apoio da NVIDIA, a Adobe também criou o Mercury Playback Engine, agora integrado ao Premiere Pro CS5 para agilizar operações avançadas com vídeos em alta definição; de acordo com a empresa, ele dispensa a necessidade de render, algo que costuma afetar a produtividade dos profissionais de vídeo em alguns casos.

No Photoshop, a Adobe aprimorou os recursos de detecção de bordas para dar maior precisão aos Brushes — os quais, por natureza, compõem várias das principais funções do aplicativo. Também foram implementadas no aplicativo novidades mais avançadas — como Content-Aware Fill —, que permitem a substituição de elementos de uma determinada imagem por outros em uma fração do tempo necessário nas suas versões anteriores.

No que diz respeito ao InDesign, o mercado de produção editorial ganha uma enorme oportunidade de distribuição dos seus projetos com o suporte à exportação deles em formatos digitais, adaptados para ebooks modernos com diferentes características em termos de interatividade. Por outro lado, o Illustrator se tornou mais sólido, recebendo melhorias nas suas ferramentas e aprimoramentos na sua performance geral.

Todas as versões da Creative Suite 5 incluem suporte ao CS Live, uma suíte de pequenas soluções criadas pela Adobe para facilitar a colaboração entre múltiplos usuários em diferentes aspectos, incluindo ferramentas para tarefas com revisão de arquivos, fluxos de pós-produção (para vídeo), análise de audiência para conteúdo web (com recursos vindos Omniture) e até testes de sites em múltiplos browsers e sistemas. Essa última tarefa é essencialmente importante para quem for usar as novas versões do Dreamweaver (que traz suporte a CMSs, como o WordPress) e Fireworks (que teve suas ferramentas vetoriais bastante melhoradas para layouts).

A imagem acima oferece uma visão geral do que cada edição da suíte oferece, mas considere ir até o site da Adobe para conhecer as novidades a fundo e escolher o pacote que se adapta às suas necessidades — os aplicativos também estarão disponíveis em DVDs independentes, de acordo com sua preferência. Os preços dos pacotes da Creative Suite 5 variam entre US$1.300 (para a edição Design Standard) e US$2.600 (para a Master Colection, com todos os apps) e eles possuem previsão de disponibilidade para maio.

Se esta interessado neste lançamento, não deixe de assistir ao webcast que a empresa fará sobre os softwares da nova Creative Suite ainda hoje. Para mais detalhes, clique aqui.

Fonte: http://macmagazine.uol.com.br/2010/04/12/adobe-anuncia-creative-suite-5-e-confirma-sua-disponibilidade-para-maio/