Depois de meses de antecipação, a chinesa Xiaomi finalmente chegou ao Brasil. Em evento realizado em São Paulo nesta terça-feira, 30, a empresa falou pela primeira vez abertamente sobre suas estratégias para o mercado nacional.

A companhia, que mesmo atuando em poucos mercados já é uma das principais fabricantes do mundo, revelou que o primeiro aparelho a ser trazido para o Brasil será o Redmi 2. O aparelho é um intermediário, que vem para disputar mercado com smartphones como o Moto G, o Zenfone 5 e o Lumia 730. O modelo chega ao país custando R$ 500. O início das vendas acontecerá no dia 7 de julho, mas a empresa pede que os interessados se cadastrem no site oficial para as vendas.

O aparelho possui capacidade para dois chips, com a diferença de suportar conectividade 4G em ambas as entradas ao mesmo tempo. O recurso é uma novidade no mercado nacional.

Para quem não conhece, a empresa se destaca também pela MIUI, sua customização do Android, que lembra muito mais o iOS. O software se destaca dos demais por ser o que a companhia chama de “sistema operacional vivo”, já que recebe atualizações semanais.
Como é tradicional da empresa, a principal plataforma de distribuição será o próprio site da empresa. No exterior, a Xiaomi é famosa pelas ofertas relâmpago, nas quais são movidas grandes quantidades de seus aparelhos em pouquíssimo tempo. No entanto, a empresa também deve vender seus produtos no varejo.

Os aparelhos estão sendo fabricados na Foxconn, em Jundiaí. Os primeiros aparelhos fabricados nacionalmente ainda estão saindo da linha de montagem, por isso a Xiaomi importou um pequeno lote para ser vendido no Brasil por enquanto.

Outros produtos

A Xiaomi também anunciou a chegada da Mi Band, a pulseira inteligente da empresa, voltada para prática de exercícios e monitoramento de suas atividades cotidianas. A pulseira custará R$ 95. A chinesa promete que sua bateria dura pelo menos 30 dias.

A pulseira é a prova d’água e também serve como autenticação do usuário. Isso significa que você pode desbloquear a tela do seu smartphone sem precisar colocar uma senha.

Também foi apresentado o Mi Power Bank, uma bateria externa de 10.400 mAh, que pode carregar até 3 vezes o Redmi 2. O aparelho chega ao mercado por R$ 100.

Fonte: http://olhardigital.uol.com.br/noticia/xiaomi-anuncia-seu-primeiro-smartphone-no-brasil-por-r-500/49469