O número de vírus programados para infectar o chamado setor de inicialização de discos de armazenamento (Master Boot RecordMBR) está crescendo, segundo um relatório da fabricante de antivírus Symantec. Nos primeiros sete meses de 2011 foi encontrada a mesma quantidade de pragas com essa capacidade do que nos últimos três anos. Mas a técnica não é nova – na verdade, ela foi usada no vírus Brain, de 1986, o primeiro vírus programado para infectar computadores do tipo IBM PC.

Se você tem alguma dúvida sobre segurança da informação (antivírus, invasões, cibercrime, roubo de dados, etc), vá até o fim da reportagem e utilize a seção de comentários. A coluna responde perguntas deixadas por leitores todas as quartas-feiras

A técnica pode ser ainda mais velha e ter até 30 anos. O vírus Elk Cloner, programado para infectar computadores Apple II em 1982 ou 1981, usava o mesmo procedimento. Mas há muitas diferenças entre as pragas daquela época e as de hoje.

Na década de 80 e até quase o final da década de 90, infectar o MBR (Registro Mestre de Inicialização, na sigla em inglês) permitia que a praga iniciasse sua execução junto com o computador, além de poder infectar disquetes e, com isso, se disseminar de um computador para outro. Hoje, as pragas se disseminam pela internet e o único MBR infectado é dos discos rígidos – que em geral ficam dentro do computador e não podem disseminar a praga adiante.

“A vantagem de utiliza esta técnica está relacionada ao fato de que a praga se tornará ativa e carregada na memória antes do sistema operacional, podendo ter total controle sobre ele sem que um programa antivírus o detecte”, explica Fabio Assolini, da Kaspersky Lab.

Contaminando o MBR, algumas pragas avançadas como o TDL (também chamado de TDSS e Alureon) conseguem burlar as proteções do Windows em 64 bits que impedem a execução de código em modo “kernel”. Na prática, isso significa que o vírus tem um controle maior sobre o sistema, dificultando sua remoção.

Mais informações: http://g1.globo.com/tecnologia/noticia/2011/08/virus-voltam-utilizar-tecnica-de-1986-para-infectar-pcs.html