A colaboradora Maria Cristina do site de segurança Linha Defensiva revelou a descoberta de um vírus brasileiro capaz de realizar uma Transferência Eletrônica Disponível (TED) a partir do computador da vítima – um passo que antes era realizado apenas pelos criminosos, depois que recebiam os dados capturados dos computadores contaminados pela praga.

A técnica reduz o trabalho e os rastros deixados pelos criminosos em golpes on-line, acelerando o roubo.

O dinheiro seria desviado para uma conta bancária cadastrada no Bradesco. O banco afirmou que as informações da agência e conta corrente que constam no arquivo não são do Bradesco.

Dentro do código do vírus é possível ver dados como nome, agência, conta e até o CPF do responsável pela conta que receberia o dinheiro. O vírus foi distribuído por e-mail em uma das várias mensagens falsas que circulam diariamente e que tentam despertar a curiosidade nos internautas para fazê-los clicar nos links contaminados.

Fora do Brasil, uma praga conhecida como “URLZone” está em uso desde 2009. Ele lê o saldo do internauta, transfere o que está disponível e falsifica a página de extrato quando o usuário acessa o internet banking. Com isso, o roubo não é percebido, a não ser que um extrato seja feito a partir do telefone ou caixa eletrônico.

No entanto, o código brasileiro não parece ter tanta sofisticação, embora partes do seu funcionamento ainda estejam em análise por especialistas. Os antivírus são capazes de detectar a praga e removê-la sem dificuldade.

Além de evitar mensagens que pareçam interessantes demais – e que portanto tentam se aproveitar da curiosidade das pessoas –, internautas devem manter o sistema operacional, navegador de internet e plugins atualizados para impedir que sites comprometidos usem brechas que contaminem o sistema.

Fonte: http://g1.globo.com/tecnologia/noticia/2011/08/virus-brasileiro-usa-pc-da-vitima-para-realizar-golpe-bancario.html