Novo Hamburgo – O ano promete para o setor de tecnologia no Estado. O governo gaúcho anunciou ontem, no Palácio Piratini, na Capital, o lançamento de uma série de seis editais da Fundação de Amparo à Pesquisa do Rio Grande do Sul (Fapergs), no valor superior a R$ 29 milhões, nas áreas de iniciação científica e tecnológica, bolsas de pesquisa, inovação, intercâmbio científico e fomento à relação universidade/empresa. O governador Tarso Genro destacou que ciência e tecnologia não é custo, mas sim investimento. “Vamos tomar todas as providências políticas, institucionais, técnicas e financeiras para recuperar o protagonismo da secretaria da Ciência, Inovação e Desenvolvimento Tecnológico’’, assegura.

Com foco na iniciação científica, foram lançados dois editais Probic (Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica), cujo objetivo é estimular o envolvimento de alunos de graduação em pesquisa com acréscimo de 20% no total de bolsas em relação ao ano passado, e o Probiti (Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Tecnológica e Inovação), que visa envolver alunos de graduação no desenvolvimento tecnológico. O investimento do Probiti, que financiará 1.850 bolsas, é de R$ 432 mil e do Probic, que custeará cem bolsas, é de R$ 7,9 milhões, num período de 12 meses, sendo contemplados cinco meses neste ano e o restante no ano que vem

Outro edital lançado é o ARD (Auxílio Recém-Doutor), com investimento de R$ 2 milhões. Visa facilitar a inserção de doutores com menos de três anos de formação, proporcionando condições para o desenvolvimento da pesquisa. Conhecida também como bolsa enxoval, o ARD proporciona uma verba para que o pesquisador possa adquirir livros, computadores e equipamentos
Um dos editais mais procurados pela comunidade científica, que teve a sua primeira edição no ano passado, o PqG (Programa Pesquisador Gaúcho)
– semelhante ao universal do CNPq – começa este ano oferecendo R$ 6 milhões e busca apoiar atividades de pesquisa científica, tecnológica e de inovação em todas as áreas do conhecimento

Já o AOE (Auxílio à Organização de Eventos), que tem como objetivo a realização de eventos científicos no RS, como congressos, simpósios e workshops no âmbito nacional ou internacional, no período de 1º de julho de 2011 a 31 de dezembro de 2011, conta com um investimento de R$ 800 mil

A novidade para este ano é o Pronem (Programa de Núcleos Emergentes), que funcionará em convênio com o CNPq e terá uma aporte de R$ 12,5 milhões. Visa apoiar as atividades de pesquisa científica, tecnológica e inovação em todas as áreas do conhecimento para pesquisadores com menos de 15 anos de doutorado

Os pesquisadores interessados poderão consultar os no site da Fapergs (www.fapergs.rs.gov.br) para encaminhamento dos projetos, conforme o perfil mais adequado

Fonte: http://www.diariodecanoas.com.br/site/noticias/geral,canal-8,ed-60,ct-505,cd-304690.htm