Battlefield 3 foi lançado na semana passada prometendo uma forte campanha single-player, um impressionante novo motor gráfico e até 64 pessoas na mesma sala em multiplayer com mapas enormes. Apesar de dias turbulentos pós seu lançamento o jogo oferece grande parte da performance multiplayer que ele prometeu, com uma forte ênfase na dinâmica da equipe e um sistema de recompensas e experiência que focam uma classe particular, podendo aprender as capacidades de todas as quatro classes.

Antes de explorar bem o extenso mapa do jogo online, temos de lidar com a sua entediante, falha, e chatas missões single player.
A campanha single-player de Battlefield 3  tem uma forte semelhança com a história do Zorra Total. Eles dois só existem por força de tecnicidade e são impulsionados por um desejo frenético de canalizar algo que eles não são, como Call-of Duty no caso de BF3 e um programa de humor no saco do Zorra. O problema com a campanha single-player de BF3 é que ele descarta quase tudo para fazer com que a campanha multiplayer seja brilhante. A primeira missão acontece em um trem e serve como uma metáfora perfeita para a trama inteira: você está em um trilho do início ao fim. Tentar explorar um mapa ou enfiar a cabeça para fora da trama pode resultar em morte automática. Jogos como este normalmente contam com cenários de script, mas a abordagem BF3 é pesada o suficiente para destruir até mesmo a ilusão de liberdade.

 

Esta imagem do single-player ilustra claramente modelos detalhados do jogo, enquanto resume toda a experiência SP (single-player).
Se você quiser um grande single-player, recomendamos jogar Deus Ex: Human Revolution

 Se o enredo “bombástico” não foi o suficiente para te convencer as ações cinematográfica do jogo pode ajudar, por seu uso de eventos quick-time enquanto a falta de habilidade de salvar o jogo transforma a história dos acontecimentos em um tedioso processo de memorização. Tudo isso seria mais fácil de ignorar se a campanha SP não servisse para prepará-lo para o multiplayer.

O jogo permite pilotar helicópteros e jatos, mas não é um décimo da facilidade para comandar um tanque ou jipe. Battlefield 3 precisaria urgentemente de um tutorial ou três na pilotagem, as missões single-player limitam você a jogar de gunner enquanto outra pessoa lida com a aeronave.

A campanha single-player ao menos  é uma vitrine fabulosa para as capacidades do motor Frostbite 2. Visuais do jogo estabeleceram uma nova marca de alta performance para o PC e os canais de áudio posicional são excelentes, mesmo quando usamos um simples par de alto-falantes ou fones de ouvido estéreo.

Battlelog:


O Servidor e todas as funções relacionadas com o jogo e os dados são armazenados on-line naBattlelog, enquanto o jogo em si só está disponível através do sistema EA. Estávamos totalmente preparados para não gostar do Battlelog, a idéia de lidar com todas as funções de vários jogos em browser soou como uma tentativa de justificar uma campanha apelativa de marketing ou um atraso no desenvolvimento do game. Embora não possamos falar sobre os planos da empresa a longo prazo o Battlelog funciona surpreendentemente bem.

Encontramos falhas, incluindo a necessidade de aplicar um patch para corrigir problemas com o jogo. Provavelmente já está sendo feito apesar dos problemas tenham sido poucos e distantes entre si. Em jogo o lag é raro, graças aos drivers mais recentes da AMD e NVIDIA que ajudam com um bom desempenho a equilibrar a necessidade de uma atualização de última hora.

Fonte: http://nerdonline.com.br/tudo-sobre-battlefield-3/