SÃO PAULO – O cofundador da Microsoft Bill Gates e sua família foram afetados por uma fiscalização da Polícia Federal que identificou irregularidades nos passaportes de sete funcionários que os acompanhavam em viagem de turismo à Amazônia.

Proprietário dos iates Kogo e Silver Cloud, Gates tem como hábito viajar com a família para diferentes destinos do mundo em suas férias, como a costa da África, Tailândia e a Amazônia brasileira.  No início deste mês, os dois iates de Gates entraram em águas brasileiras e viajavam ao longo do Rio Negro, no Amazonas.

No iate Kogo, viajavam somente Gates e seus familiares. Já no Silver Cloud seguiam sete funcionários do bilionário americano, que acompanham sua família para resolver problemas burocráticos, comprar alimentos e cuidar da manutenção das embarcações.

No início da terça-feira (19), o iate Silver Cloud realizava um passeio só com os sete funcionários americanos, que foram parados em uma fiscalização de rotina da Polícia Federal no Porto de Manaus.

De acordo com a Superintendência da PF no Amazonas, os sete funcionários tinham visto de turismo simples quando, na verdade, precisariam ter o visto temporário II, exigido para estrangeiros que entram no país para trabalhar, caso da tripulação do Silver Cloud, que atendia Gates.

Os funcionários ficaram detidos no barco por doze horas. Segundo a PF, eles se identificaram como funcionários da Microsoft e pediram que a polícia contatasse a embaixada americana em Brasília a fim de contornar o problema. Ainda de acordo com a versão das autoridades brasileiras, o caso agravou-se quando os funcionários do iate não conseguiram mostrar documentos que autorizassem o barco a navegar em águas brasileiras.

Bill Gates e sua família não estavam na embarcação quando a fiscalização aconteceu e não sofreram nenhum constrangimento. Gates e seus familiares, que possuíam vistos adequados de turismo, descansavam em um hotel de selva.

Ao fim da fiscalização, a PF decidiu liberar todos os sete funcionários desde que eles se comprometessem a deixar o Brasil em até três dias. Segundo a Polícia Federal, toda a tripulação do iate deixou o Brasil na madrugada de hoje, em um vôo para Miami.

As embarcações poderão ser retiradas pelo staff de Gates após sua documentação ser regularizada junto à Capitania dos Portos. Gates e sua família já passaram férias nos anos de 2007 e 2009 na Amazônia Brasileira.

Em breve nota, a assessoria da Microsoft no Brasil admite o incidente e indica que os problemas burocráticos poderiam ter sido resolvidos na própria embarcação. Veja a nota completa enviada à INFO pela Microsoft:

“Alguns membros da tripulação de um barco que estava sendo usado em parte de uma viagem de Bill Gates estiveram algum tempo com as autoridades brasileiras. Nós entendemos que os membros da tripulação sem as autorizações adequadas estavam aptos a resolver o problema e retornar para o barco. Bill Gates não estava diretamente envolvido.”

Na tarde desta terça-feira,  o jornal A Crítica de Manaus, publicou uma declaração atribuída ao superintendente da Polícia Federal no Amazonas, delegado Sérgio Fontes, afirmando que Gates não deixou o Brasil e permanece em Manaus.

Procurado pela INFO, o delegado Sérgio Fontes ainda não foi encontrado para comentar o assunto. Mais informações em instantes.

Fonte: http://info.abril.com.br/noticias/mercado/gates-deixa-o-brasil-apos-problemas-com-a-pf-20042011-20.shl