Ribeirão Preto – Cidade do nordeste paulista localizada a 313 quilômetros da capital paulista, Ribeirão Preto entrou definitivamente na briga para receber uma fábrica de Ipads que será construída no interior do estado.

A intenção da prefeita Dárcy Vera da Silva (DEM) é procurar o representante da Apple no Brasil para oferecer a cidade para a instalação da fábrica, o que deve ser feito, segundo as autoridades, ainda no primeiro semestre deste ano de 2011.

A prefeita disse que assim que soube que a fábrica virá para o interior do Estado de São Paulo, ela pediu para que um assessor postasse uma mensagem no site oficial da Apple, falando sobre o interesse da cidade em abrigar a nova fábrica.

Contato

“Já realizamos esse primeiro contato e iremos lutar até o fim para que Ribeirão ganhe esse verdadeiro presente”, disse a prefeita, que admitiu, inclusive, negociar condições especiais para a instalação da fábrica, sem dizer, no entanto, até onde a prefeitura poderia abrir a mão da receita de impostos para a instalação.

Ainda de acordo com Dárcy Vera da Silva , já está sendo preparado um relatório com dados sobre a cidade, a importância econômica e o potencial da cidade e da região para ser enviado para a fábrica da Apple.

Qualificação

Outro fator importante, garante a prefeita Dárcy Vera da Silva , é a condição qualificada da mão de obra da cidade. “Temos condição de proporcionar à Apple pessoas qualificadas, o que acredito ser um diferencial muito relevante para Ribeirão Preto”, garantiu a prefeita.

A prefeita também não descarta entrar na briga para receber outros investimentos chineses no Brasil. Segundo ela, qualquer oportunidade que traga ganhos para Ribeirão Preto interessa à cidade, que está disposta a negociar com as empresas que queiram instalar-se no Brasil. “Temos essa postura de ir atrás desde o primeiro dia de nosso governo”, comenta a prefeita.

Investimento

Com previsão de investimento de US$ 12 bilhões de dólares em cinco anos, a Foxconn, fornecedora da Apple, deve anunciar até o próximo mês o nome da cidade escolhida para a instalação da fábrica. A empresa espera iniciar a produção em solo nacional em novembro deste ano.

O anúncio foi feito pela presidente Dilma Rousseff em visita a China, onde teve um encontro a portas fechadas com representantes da empresa. A nova unidade brasileira começará a produzir o iPad – o cobiçado tablet da Apple – no País.

Favorita

Embora Ribeirão tenha manifestado interesse em receber a fábrica, a favorita a receber os investimentos até o momento é a cidade de Jundiaí, localizada há 40 quilômetros da capital (veja mais em texto nesta página).

A expectativa da Foxconn é que o empreendimento deva gerar em torno de 100 mil empregos diretos. Esse total, por sinal, representa 80% do total de vagas que o setor de eletrônicos gera no país, que é de 125 mil postos de trabalho.

Jundiaí

Muito embora admita o favoritismo inicial de Jundiaí, a prefeita Dárcy Vera da Silva disse que já está tentando manter contato com representantes da empresa no País. “Assim que eu conseguir um contato, quero marcar uma reunião e levar todas as informações sobre a cidade para serem analisadas”, explicou a prefeita. para ela, é importante que o município se mobilize no sentido de conseguir trazer este investimento para a cidade. “Tem que ser uma luta de todos. E já demonstramos que, quando todos se engajam, a vitória é uma grande possibilidade”, explica.

Empregos

Segundo o ministro Aloizio Mercadante (PT), da Ciência e Tecnologia, a fábrica trará um grande incremento de empregos para o setor eletroeletrônico.

Mercadante ressaltou, ainda, que os rumores de que as novas vagas criadas seriam ocupadas por estrangeiros não procede.

“Esses empregos são para brasileiros e para produzir no Brasil. O Brasil não concederá visto de entrada para uma indústria que não seja formada basicamente por trabalhadores brasileiros. E mesmo eles da Foxconn não pensam de outra forma”, declarou o ministro, ressaltando que “podemos ter estrangeiros em alguns cargos chaves, em áreas específicas e técnicas, como todos os profissionais em todas as áreas”.

Aloizio Mercadante também ressaltou que, além dos tablets da Apple, duas empresas chinesas de eletrônicos estão aumentando investimentos no Brasil.

A estatal ZTE monta uma fábrica em Hortolândia, em São Paulo, prevê a criação de 2 mil empregos e um investimento de US$ 200 milhões. Já a Huawei anunciou um investimento de US$ 300 milhões num centro tecnológico em Campinas, São Paulo.

Fonte: http://www.dci.com.br/Ribeirao-entra-na-briga-por-fabrica-de-Ipad-8-374082.html