A rede social voltada para encontros extraconjugais Ohhtel.com atingiu cerca de 320 mil usuários durante os primeiros quatro meses de operação no país. O portal tem mais de dois milhões de internautas cadastrados em todo o mundo, sendo 415 mil na América Latina. O site opera em mais seis países: Estados Unidos, Canadá, Argentina, Chile, Paraguai e Peru.

A empresa informou que a faixa etária média de usuários é de 40 anos para homens e 33 anos para mulheres. Atualmente, eles representam cerca de 67% dos usuários brasileiros, e destes 38% pagam para ter acesso completo aos serviços, o que dá mais de um pagante para cada mulher (34%) cadastrada no site.

“Nossos concorrentes estão em grande parte ignorando a América do Sul, porque eles não podem cobrar altos valores pelo serviço, como ocorre na Europa ou América do Norte. Sempre planejamos concentrar nossos esforços na América do Sul”, afirmou o diretor de comunicação do Ohhtel, Jackson Roberts.

Mulheres podem usar gratuitamente a rede social, enquanto homens podem se visualizar perfis, mas precisam pagar uma taxa inicial de 60 reais para enviar e-mails ilimitados para até 20 perfis femininos. A faixa etária média de usuários do site é de 40 anos para os homens e 33 para as mulheres.

No Ohhtel.com os usuários podem criar um perfil privado, liberando uma chave de acesso apenas aos perfis escolhidos. A empresa informou que após a exclusão de um perfil, todas as fotos e histórico de mensagens recebidas ou enviadas são permanentemente excluídos.

A vice-presidente de operações da Ohhtel.com no Brasil, Lais Ranna, disse que o site foi criado para homens e mulheres que vivem a rotina de um casamento sem intimidade e desejo, mas que também ainda amam o parceiro e não querem se divorciar. “Acreditamos que a falta de satisfação sexual não é razão suficiente para acabar com seu casamento, até porque isso envolve muito mais do que apenas sexo: envolve a família, finanças e, em muitos casos, o amor”, segundo a executiva.

“Eu amo meu marido e meus filhos. Mas sou uma pessoa muito apaixonada e a paixão do meu parceiro é o trabalho. Sou muito feliz com o tipo de vida que temos e com tudo o que o trabalho dele nos proporciona, mas eu preciso de algo a mais na minha vida”, declarou uma usuária do site.

A Ohhtel informou que, por questão de segurança e privacidade, o site tem como política armazenar o mínimo possível de informações pessoais dos usuários e no caso de pagamentos realizados via cartões de crédito, o nome do serviço não aparece no extrato bancário.

Fonte: http://idgnow.uol.com.br/mercado/2011/11/23/rede-social-para-traicao-alcanca-quase-320-mil-usuarios-no-brasil-em-quatro-meses/