A Diaspora, rede social de código-fonte aberto que deseja ser uma alternativa à plataforma fechada do Facebook, anunciou por meio de seu fundador, Maxwell Salzberg, que vai atender aos pedidos de usuários e deve avançar “mais rápido” no desenvolvimento de uma rede social “diferenciada”. As informações são do site ReadWriteWeb.

No blog do projeto, os desenvolvedores anunciaram também que estão adicionando diversas mudanças de última hora para a nova rede social e “construindo um quadro grande de aplicações para que elas se integrem entre si”. A Diaspora não é apenas um site – é uma coleção de diferentes sites, com distintas URLs, todos rodando o mesmo software, aptos a se comunicarem um com outro.

As mudanças recentes poderão fazer com que a rede social seja integrada e operada junto com outras aplicações de redes sociais associadas de maneira mais simples. “A Diaspora é um esforço de longo prazo. É sobre uma ideia maior que uma simples tendência”, disse Salzberg.

O projeto Diaspora foi criado há cerca de um ano por estudantes da Universidade de Nova York. Em novembro doa ano passado, testes já haviam iniciado pelos estudantes. Apesar da iniciativa ser contra o Facebook, o fundador da rede social mais popular do mundo, Mark Zuckerberg, já doou mais de US$ 200 mil para a novidade. “Eu acho que é uma ideia legal”, disse Zuckerberg em agosto do ano passado.

Fonte: http://tecnologia.terra.com.br/noticias/0,,OI5133138-EI12884,00.html