Todos os anos o Greenpeace, organização não governamental que luta pela preservação do meio ambiente, elabora um relatório sobre os produtos que mais agridem o desenvolvimento sustentável, seja de forma direta ou indiretamente.

E mais uma vez a Nintendo aparece na lista negra da organização, como a companhia menos “verde” e a mais poluente, entre as 18 grandes empresas de tecnologia, apresentando apenas 1,8 ponto em dez possíveis. Segundo relatório do Greenpeace, a empresa saiu-se mal especialmente no quesito lixo eletrônico, em que tirou nota zero.

A Big N ganhou alguns pontos nos quesitos produtos químicos e uso de energia, porém foi criticada pelo aumento de emissão de gases tóxicos, falta de cronograma para eliminação do uso de PVC e uma política de lixo residual inexistente. Em relatório anterior, divulgado em janeiro de 2010, a Nintendo também estava em último, com 1,4 ponto.

A Microsoft também não está muito “verde” aos olhos do Greenpeace, ficando na penúltima posição com 1,9 ponto. Em relatório anterior, a empresa que também havia ficado na vice-lanterna, estava com 2,4 pontos.

Já a Sony está um pouco melhor, com 5,1 pontos, ocupando a sexta posição ao lado de outras empresas como Panasonic e Motorola. A fabricante do PS3 permaneceu no mesmo resultado do relatório anterior. No entanto, a sua divisão de celulares, a Sony Ericsson (a mesma responsável pelo suposto PlayStation Phone), é ainda melhor, e ocupa a segunda posição com 6,9 pontos, perdendo apenas para a finlandesa Nokia, com 7,5 pontos.

Alguns critérios usados pelo Greenpeace na avaliação são centrados na análise de toxicidade dos produtos empregues na produção da empresas, assim como suas políticas de reciclagem e de preservação do meio ambiente e desenvolvimento sustentável.

Fonte: http://jogos.uol.com.br/ultnot/multi/2010/10/27/ult530u8522.jhtm