Depois do susto, a calmaria: a Microsoft confirmou que vai tirar o Paint do Windows, mas garante que não pretende matar este que é um dos programas mais icônicos do sistema operacional. A empresa explicou que disponibilizará o Paint gratuitamente dentro da Windows Store, assim, o aplicativo poderá ser baixado apenas por quem realmente sente necessidade de tê-lo na máquina.

“[O] Paint 3D, o novo app para criatividade, também disponível gratuitamente com o Windows 10 Creators Update, continuará a receber atualizações com novos recursos”, acrescentou a Microsoft. “Além das novas capacidades em 3D, muitos dos recursos do Paint que as pessoas conhecem e adoram, como edição de fotos, ferramentas de linhas e curvas e criação em 2D, estão no Paint 3D.”

O texto veio em resposta ao furor gerado pela descoberta de que a empresa não vai mais incluir o Paint tradicional automaticamente no Windows, algo que vem acontecendo desde o surgimento do sistema operacional, há mais de três décadas.

Essa informação foi passada discretamente com a publicação de uma lista de recursos que serão removidos ou descontinuados a partir da próxima grande atualização do Windows, programada para ser lançada a partir de setembro.

A Microsoft se mostrou surpresa com a quantidade de fãs do Paint. Mas pode ser que a comoção de ontem tenha mesmo sido exagerada, afinal, o Paint não faz parte dos programas essenciais do Windows, servindo mais como um quebra-galho do que como ferramenta de criação.

Há inúmeras alternativas mais completas que ele pela internet. Programas gratuitos ou não, e que às vezes sequer precisam de instalação pois operam no navegador.

Fonte: Olhardigital