Com 25 centros de inovação no Brasil, onde se desenvolvem empresas na área de Tecnologia da Informação (T.I.), a Microsoft pretende aumentar no país o número de “startups”, como são chamadas as pequenas companhias em que investe, principalmente aquelas com vocação para atuar na área de óleo e gás.

“Queremos incentivar a criação de empresas, aumentando a capacidade brasileira para atuar, num nível competitivo, no desenvolvimento de soluções tecnológicas para o pré-sal”, afirmou Paulo Ludicibus, que representou a empresa na assinatura do protocolo de intenções para a concretização do Parque Tecnológico Barão de Mauá, na Zona Portuária do Rio de Janeiro.

Responsável pelo investimento de R$ 150 mil para a elaboração do pré-projeto do Parque, a Microsoft terá novas startups instaladas no local – que terá uma incubadora de empresas gerenciada pela PUC-RJ –, com foco no desenvolvimento de softwares para uso em pesquisas do setor petróleo.

Segundo Ludicibus, em um ano, a Microsoft planeja elevar a 2.500 o número de startups financiadas pela empresa.

Fonte: http://www.energiahoje.com/online/empresas/estrategia/2010/08/10/415468/microsoft-de-olho-no-pre-sal.html