A intenção da Google de adquirir a ITA Software tem atraído cada vez mais atenção do Departamento de Justiça dos Estados Unidos, que quer mais informações de ambas as partes para determinar se a transação levanta questões antitruste.

“Isso significa que não fecharemos o acordo tão rapidamente, mas temos confiança que o Departamento de Justiça vai concluir que os serviços online de viagem permanecerão competitivos após a conclusão da aquisição”, escreveu Andrew Silverman, um gerente de produto sênior da Google, em um blog oficial na tarde de sexta-feira (27/8).

Na semana passada, a Google recebeu o “segundo pedido” formal de informações do Departamento de Justiça sobre a compra, por 700 milhões de dólares, da ITA, uma desenvolvedora de software para informações de voos.

A ITA atende a grandes empresas aéreas e agências online, como American Airlines, Continental Airlines, Kayak, Orbitz, Southwest Airlines, TripAdvisor, United Airlines, US Airways, Virgin Atlantic Airways e o Bing, da Microsoft.

Objeções
À época, alguns observadores da indústria comentaram que os reguladores do governo poderiam levantar objeções ao acordo porque os produtos da ITA são fundamentais nos sistemas de muitas agências online de viagem e empresas aéreas.

O Departamento de Justiça não respondeu aos pedidos de entrevista.

Com sede em Cambridge (EUA), a ITA foi fundada em 1996. O Google anunciou sua aquisição em 1.º de julho de 2010.

À época, a Google afirmou estar interessada na tecnologia e nos produtos da ITA Software porque ela melhoraria a capacidade dos motores de busca da Google de entregar informações de voo para viajantes e usuários em geral.

Uma fatia significativa das buscas no Google é relacionada a viagens e, segundo a empresa, há uma grande oportunidade de inovar e melhorar os serviços de busca atuais.

“As viagens aéreas e a busca online são uma oportunidade perfeita para mais inovação, mais investimentos”, bem como para mais competição, disse o CEO da Google, Eric Schmidt, à época.

A ITA Software é uma empresa privada de capital fechado com cerca de 500 empregados.

Fonte: http://idgnow.uol.com.br/mercado/2010/08/30/justica-dos-eua-quer-mais-detalhes-sobre-compra-da-ita-pela-google/