Em Nova Iorque o primeiro lugar da fila foi vendido por 900 dólares

O iPad 2 já está esgotado nos Estados Unidos, três dias depois de ter sido posto à venda. Ainda sem números oficiais, este é já considerado um dos maiores lançamentos de gadgets de sempre, com os analistas a avançarem vendas entre 400 mil e um milhão de unidades no primeiro fim-de-semana. Apesar desta disparidade de estimativas, é já possível afirmar que a esmagadora maioria dos compradores não tinham o iPad original, o que sugere que a Apple está a alargar a base de clientes e a criar mercado. Ontem, a empresa limitou-se a referir que “a procura pelo iPad de nova geração tem sido incrível”, sem revelar números.

Mas, segundo Gene Munster, da consultora Piper Jaffray, a empresa vendeu qualquer coisa como meio milhão de iPads 2 logo no primeiro dia. E Scott Sutherland, da Wedbush Securities, disse à Reuters que a Apple pode ter despachado um milhão de iPads 2 no fim-de- -semana – algo que no iPad original só aconteceu ao fim de 28 dias, depois de ter vendido 300 mil nos primeiros dias.

A nota de Brian White, da Ticonderoga Securities, também não deixa margem para dúvidas: “Todas as lojas tinham esgotado o inventário de iPads 2 no sábado à tarde e já não houve entregas no domingo.”

O ritmo alucinante de vendas foi impulsionado por novos compradores. A Piper Jaffray fez uma sondagem “à boca das lojas” e reportou que 70% dos compradores iam adquirir um iPad pela primeira vez; metade deles usava PC em casa (e não Mac) e 65% já tinham um iPhone. Também concluiu que apenas 6% pretendiam usar o iPad 2 como leitor de livros electrónicos, algo que contrasta com os 19% registados na primeira leva de iPads.

É preciso ressalvar que o iPad 2 esteve à venda em mais cadeias de retalho que o original, o que terá ajudado nas vendas. Ainda assim, o arranque fulminante da nova versão do tablet coloca ainda mais pressão nos rivais directos – Motorola Xoom, HP TouchPad e RIM PlayBook. Concorrentes que, para a Forrester, estão condenados ao insucesso.

“Compare-se a experiência de entrar numa Apple Store, onde o iPad está no centro, a entrar numa loja da Verizon, onde o Galaxy Tab da Samsung está a ganhar pó no fundo da prateleira e os vendedores não sabem o que fazer dele”, disse a analista Sarah Rotman Epps, da Forrester, ao TG Daily. A consultora acredita que 80% do mercado de tablets vai pertencer à Apple este ano, apesar de estarem previstos ou já nas lojas cerca de 102 novos tablets.

Fonte: http://www.ionline.pt/conteudo/110484-apple-ao-rubro-ipad-2-esgota-no-primeiro-fim-de-semana