Mais um caso envolvendo problemas de propriedade do Facebook. De acordo com o Wall Street Journal, dessa vez a história é a de um homem de Nova York que alega ter direito a 84% da rede social.

Paul D. Ceglia entrou com uma ação na justiça no dia 30 de junho, dizendo que em um contrato assinado em 2003 pelo fundador e presidente-executivo Mark Zuckerberg para o desenvolvimento e design do site, ele receberia uma taxa de  US $ 1.000 e uma fatia inicial de 50% do produto.

O jornal que conferiu uma cópia do contrato disse que as acusações feitas por Paul entram em conflito com a data de criação da rede social, já que Zuckerberg não tinha registrado o domínio do thefacebook.com até janeiro de 2004.

Em 2009, Paul D. Ceglia já tinha se envolvido com a justiça, mas dessa vez por uma acusação de fraude aos clientes de sua empresa de combustível a lenha. De acordo com a procuradoria de Nova York, o caso que ainda está ativo diz que  Paul pegou mais de US$ 200.00 doláres dos consumidores, mas não conseguiu entregar todos os produtos ou restituí-los.

Diante do caso que deverá ser levado à Corte Federal, um juiz de Nova York emitiu uma ordem de restrição temporária  da transferência de ativos do  Facebook.  Em declaração ao WSJ, um porta-voz da empresa disse que ela combaterá vigorosamente as falsas acusações.

Fonte: http://olhardigital.uol.com.br/produtos/mobilidade/celulares-verdes-sao-uma-alternativa-para-diminuicao-do-lixo-eletronico/12754