Hackers lançaram um ataque contra o sistema de metrô da cidade de San Francisco, nos Estados Unidos. A agência que controla o metrô interrompeu, na última quinta-feira (11), o serviço de celular em quatro estações para evitar um protesto. Segundo sites internacionais, o ataque foi planejado em represália à interrupção do sinal.

Um banco de dados da associação de policiais do Bay Area Rapid Transit (agência que gerencia o metrô) foi publicado na internet, com nomes, e-mails, endereços residenciais e senhas. Segundo a BBC, o grupo de hackers Anonymous anunciou no Twitter que dados de 102 policiais foram vazados.

O site da associação estava indisponível na manhã desta quinta-feira (18). “Essas pessoas são criminosas e nós vamos repassar essas informações ao FBI”, disse o presidente da associação, Jesse Sekhon, ao jornal “San Francisco Chronicle”. O BART desligou o serviço de telefonia celular na última quinta-feira (11) em quatro estações de metrô no centro de San Francisco antes de um protesto contra a morte de um sem-teto.

O grupo Anonymous começou a promover na internet o que ficou conhecido como “Operação BART”. No Twitter, os hackers anunciaram: “Iremos mostrar ao BART como evitar um motim”. Segundo o site “Cnet”, a Comissão Federal de Comunicações, dos EUA, está investigando se o BART poderia interromper os serviços de telefonia móvel para os passageiros do metrô.

Fonte: http://g1.globo.com/tecnologia/noticia/2011/08/hackers-atacam-site-de-metro-que-cortou-celular-antes-de-protesto.html