O Google continua a coletar dados geográficos dos usuários, como endereço residencial e locais visitados no dia, mesmo com a função do histórico de localização desligada. Isso é o que mostra um estudo da Princeton University, publicado nessa segunda-feira (13) pela agência de notícias

Segundo a pesquisa, a empresa consegue rastrear usuários por meio de diferentes aplicativos como o Google Maps, aqueles de atualizações meteorológicas, além das pesquisas realizadas no navegador. Assim, qualquer atividade realizada em um desses apps pode ser utilizada para alimentar o histórico de localização do próprio Google .

De acordo com os pesquisadores, ao desativar o histórico de geolocalização do Google, o internauta está apenas impedindo que a empresa adicione os dados no recurso chamado “Timeline”, responsável por registrar visualmente onde a pessoa esteve.

Em comunicado enviado ao portal internacional The Verge, o Google declarou que os registros feitos pela empresa estão claros para usuários.

O histórico é um  produto do Google totalmente aceito as pessoas têm controle para editar, excluir ou desativá-lo a qualquer momento. Como se pode observar, garantimos que os usuários saibam que, quando desativam a opção, continuamos mapeando os lugares para melhorar a experiência no Google”, disse.

Fonte: https://tecnologia.ig.com.br/2018-08-14/historico-localizacao-google.html