O Google apresentou nos Estados Unidos, os primeiros notebooks com o Chrome OS, sistema operacional da empresa, concorrente do Windows, da Microsoft. As máquinas devem chegar ao mercado em meados de próximo ano.

“Finalmente teremos uma terceira alternativa viável de sistema operacional”, disse o presidente do Google, Eric Schmidt. As outras opções são o Windows e os sistemas do Mac, da Apple.

Os primeiros notebooks com o Chrome OS serão produzidos pela Acer e a Samsung, usando chips da Intel. Não foram divulgados preços para esses computadores.

Com o Chrome OS, o principal elemento do notebook será o navegador de internet, que é muito dependente da conexão com a rede, no lugar do sistema operacional que roda no disco rígido, como no Windows ou no Mac.

Protótipo. Por enquanto, um número “muito limitado” de consumidores pode se candidatar a um protótipo sem marca, chamado CR 48, equipado com o novo sistema operacional.

Para ser escolhido, os candidatos devem publicar vídeos no YouTube explicando por que deveriam experimentar o Chrome OS. Todo preto, o CR 48 tem tela de 12,1 polegadas, conexão de telefonia celular de terceira geração (3G) e webcam, mas não possui nenhum logo ou marca.

Algumas empresas, como a Kraft e a empresa aérea Virgin America, também receberão alguns protótipos para teste.

Segundo o Google, o novo sistema operacional, baseado na web, será muito mais seguro que os convencionais, pois terá atualização automática, encriptação de dados e outros recursos que impedirão o software de ser modificado por fontes externas.

“É muito, muito difícil invadi-lo”, disse Sundar Pichai, vice-presidente do Google. “Estamos muito confiantes de que será o sistema operacional mais seguro já oferecido aos consumidores.”

O Google informou que o navegador Chrome está sendo usado atualmente por 120 milhões de pessoas ao redor do mundo, comparados a 70 milhões há seis meses.

O número de usuários do Chrome triplicou desde o começo de 2010, segundo Pichai. O navegador Chrome é outro produto, concorrente do Internet Explorer, da Microsoft, e do Firefox, da Fundação Mozilla. / SAN JOSE MERCURY NEWS

Fonte: http://www.estadao.com.br/estadaodehoje/20101208/not_imp650918,0.php