A International Board, órgão da Fifa que regulamenta as regras do futebol, autorizou ontem a utilização da tecnologia no esporte pela primeira vez. O uso, porém, será restrito apenas na linha do gol, para determinar se a bola entrou ou não. A entidade especificou que o dispositivo eletrônico a ser utilizado precisa ser 100% confiável.

A decisão final sobre o lance deve ser feita em poucos segundos e confirmada exclusivamente ao árbitro. Um dos receios é prejudicar a dinâmica de uma partida de futebol.

As empresas interessadas em produzir a tecnologia devem apresentar seus projetos até o fim de novembro. Ainda não há previsão para o início da operação. Não está decidido se haverá chip na bola ou uso de imagens.

A nova regra precisa ser aprovada pela Junta Geral Ordinária da International Board, em março de 2011.

A decisão é histórica porque pela primeira vez a Fifa abre espaço para a tecnologia ajudar a arbitragem a diminuir seus erros. Vários esportes, entre eles o futebol americano e o tênis, já contam com apoio tecnológico na arbitragem.

A pressão pelo uso da tecnologia aumentou após a última Copa do Mundo. Nas oitavas de final, a Inglaterra teve um gol legal de Lampard, contra a Alemanha, não validado porque o árbitro uruguaio Jorge Larrionda não viu a bola entrar.

Gol da Inglaterra, não validado, contra a Alemanha na Copa: polêmica reprodução

Fonte: http://www.destakjornal.com.br/readContent.aspx?id=16,77003