Produtores de filmes, animadores e designers gráficos sérios são um grupo muito exigente. Para eles, usar a melhor ferramenta para o projeto é mais importante do que o preço baixo. Blender é uma exceção a essa regra; este programa para modelagem e animação é Open Source e compete com produtos comerciais muito mais caros como o Maya, da Autodesk. E diferentemente de outras alternativas de baixo custo, Blender rodou rápido e não travou, além de oferecer uma rica variedade de ferramentas.

A não ser que o usuário seja um expert em modelagem 3D, pode ser que demore algum tempo para aprender a usar o Blender. Durantes os testes, foi possível montar alguns modelos com polígonos básicos, texturas e interseção de curvas após alguns dias. Ainda assim, as criações estavam muito distantes do que um verdadeiro artista e modelador poderia fazer com o Blender, a julgar pelos vídeos no Youtube e os tutoriais que mostram o poder desse aplicativo.

A interface pode parecer um pouco assustadora, e o programa roda em um ambiente próprio (não segue o modelo Mac com menus ou caixas de diálogo), mas na verdade os comandos são muito diretos. Basta pressionar a barra de espaço para criar um elemento ou aplicar um efeito. As teclas de atalho (como S para redimensionar e R para rodar) deixa o ajuste dos objetos mais prático. O Blender facilita também na hora de renderizar as imagens com textura e feitos de luz. As janelas podem ser dispostas em camadas e organizadas de diversas maneiras de acordo da forma que o usuário gosta de trabalhar.

O aplicativo suporta ainda scripts Python (uma linguagem de progamação), rigging (um processo que usa wireframes para construir uma forma subjacente, como ossos do esqueleto), um mecanismo de animação (para criar sequências mais complexas que imitam o movimento de objetos do mundo real), shading (para adicionar texturas e reflexos), compositing (construir componentes individuais de uma animação ou modelo) e ainda um mecanismo para criar partículas que podem ser renderizadas em uma forma geométrica complexa.

Blender suporta ainda animações “soft body”, como por exemplo um cobertor que cai sobre uma bola de forma realística. Realmente esse aplicativo tem uma vasta gama de ferramentas avançadas que cobrem boa parte das necessidades dos animadores e artistas de 3D, e ainda é uma boa porta de entrada para aqueles que querem iniciar na profissão.

Um bom exemplo do poder do Blender (e também um excelente recurso para quem quer aprender como as coisas são feitas) é o curta Big Buck Bunny. Lançado sob uma licença Open Source, todos os “assets” utilizados em sua produção, incluindo modelos, texturas e trilha sonora, podem ser baixados gratuitamente e reutilizados sob uma licença Creative Commons. Mais informações podem ser encontradas no site oficial do projeto, em www.bigbuckbunny.org.

Fonte: http://macworldbrasil.uol.com.br/reviews/2010/07/27/ferramenta-de-design-3d-gratuita-compete-com-softwares-pagos/