Na última sexta-feira, 3, o Twitter do site de tecnologia Gizmodo, que tem meio milhão de seguidores, foi dominado por hackers durante cerca de 15 minutos. O ponto de acesso inicial dos hackers foi a conta iCloud – serviço de armazenamento em nuvem da Apple – de um ex-funcionário do site, o repórter Mat Honan. Uma forma de “engenharia social”, nos termos do próprio Honan, foi usada para fazer com que o suporte técnico da Apple ignorasse as perguntas de segurança. .

A sequência de ataques do hacker foi recontada pelo jornalista em seu Tumblr, e reproduzimos aqui: 

  • Às 4:50 PM, alguém entrou na sua conta do iCloud, alterou a senha e mandou a mensagem de confirmação para a lixeira.
  • Às 4:52 PM, um email de recuperação da sua senha Gmail foi enviada para a conta .mac. Dois minutos depois, ele recebeu um email informando a mudança de senha na sua conta do Google.
  • Às 5:00 PM, eles apagaram os dados do seu iPhone à distância.
  • Às 5:01 PM, apagaram as informações do seu iPad.
  • Às 5:05, o seu MacBook Air também foi apagado remotamente.
  • Poucos minutos depois, a conta de Honan no Twitter foi hackeada. E como ele havia associado seu Twitter pessoal à conta do Gizmodo há alguns anos, o hacker assumiu o controle sobre as duas contas.

A Apple confirmou ao jornalista que a conta do iCloud foi acessada através do seu suporte técnico, e agora trabalha para recuperar as informações deletadas. O repórter, que atualmente trabalha para a revista Wired, não tem backup da maior parte de seus dados e foi informado que as informações de seus aparelhos provavelmente são irrecuperáveis a não ser que uma perícia cautelosa seja feita.

Ele diz que perdeu “anos de registros em fotos, emails, documentos”. Mesmo assim, o repórter diz que espera que a Apple esteja ciente do que aconteceu e trabalhando para que ataques como esse não aconteçam novamente. “Eu quero dar um pouco mais de tempo para a empresa rever seus processos internos, mas isso deve ser tão simples quanto uma mudança na política [de segurança]”, escreveu Honan.