SÃO FRANCISCO – O Facebook, seu presidente-executivo, Mark Zuckerberg, e diversos bancos, incluindo o Morgan Stanley, foram processados nos Estados Unidos por acionistas, que dizem que os réus esconderam previsões rebaixadas de crescimento da rede social antes da oferta pública inicial (IPO, na sigla em inglês) de US$ 16 bilhões

Eles foram acusados de ocultar de investidores, durante o processo de IPO, “uma severa” redução nas previsões de crescimento da receita do Facebook, como resultado do aumento de acessos à rede social através de dispositivos móveis.

O processo foi aberto em uma corte distrital de Manhattan nesta quarta-feira, 23, segundo um advogado dos queixosos.

Um dia antes, um processo similar por um investidor diferente foi apresentado em um tribunal do estado da Califórnia, de acordo com um escritório de advocacia envolvida no caso.

Em Nova York, acionistas disseram que analistas de várias seguradoras haviam baixado suas previsões de negócios para o Facebook durante o processo de IPO, mas que essas mudanças foram “seletivamente divulgadas pelos réus para certos investidores preferidos” em vez do público em geral.

“O valor das ações ordinárias do Facebook têm diminuído significativamente e o grupo de queixosos tem arcado com prejuízos como consequência”, segundo a queixa.

Representantes do Facebook e do Morgan Stanley não respondera imediatamente aos pedidos por comentários.

Ações do Facebook caíram 18,4% – em relação ao seu preço sugerido para o IPO de US$ 38 – nos primeiros três dias de negociações, reduzindo o valor das ações vendidas em mais de US$ 2,9 bilhões.

/REUTERS

Fonte: http://blogs.estadao.com.br/link/facebook-e-bancos-sao-processados-nos-eua/