Desde que o governo dos Estados Unidos colocou a Huawei em uma “lista negra” que a impede de efetuar qualquer transação com qualquer empresa do país, é esperado que cedo ou tarde a China contra-ataque, banindo do país oriental alguma empresa com sede nos Estados Unidos. E há grandes possibilidades de a Apple ser a empresa escolhida.

Assim, os analistas financeiros já estão se preparando para o baque que pode significar a expulsão da empresa do mercado chinês — e tudo indica que ele não será bem grande. De acordo com os analistas do banco Goldman Sachs, os lucros da Apple deverão cair em quase 30% caso a empresa seja mesmo expulsa da China.

Isso acontece porque, apesar de o mercado chinês representar apenas 17% das receitas totais da Apple, as altas margens de lucro dos produtos vendidos no país (que, segundo o banco, estão na faixa de 45%) fazem com que esses 17% das receitas totais sejam responsáveis por 29% do lucro líquido em vendas obtido pela empresa.

Além disso, a escalada na guerra fiscal entre os Estados Unidos e a China pode significar muito mais problemas para a empresa do que a saída da marca do mercado chinês, pois os analistas lembram bem que praticamente toda a linha de produção da Apple está hoje concentrada na China, e que seria impossível tirar toda essa produção do país do dia para a noite.

A única coisa em favor da Apple aqui é que uma tentativa do governo chinês de forçar a produção da empresa para fora da China seria ruim para ambas as partes: enquanto isso acarretaria em um enorme prejuízo financeiro para a Apple, isso também significaria a perda de dezenas de milhares de postos de trabalho na China, além de desbalancear completamente o ecossistema de desenvolvimento tecnológico do país.

Atualmente, a Apple já enfrenta problemas em suas vendas na China devido ao aumento de demanda por marcas mais baratas de smartphones, como a Huawei e a Xiaomi.

Fonte: https://canaltech.com.br/mercado/expulsao-da-apple-da-china-pode-diminuir-em-30-os-lucros-da-empresa-139879/