Em três anos, o Android deve substituir o Windows e se tornar o principal alvo de hackers. A migração dos usuários para tablets e smartphones será acompanhada pelos criminosos, segundo Eugene Kaspersky, fundador da empresa de antivírus.

“Quem comprou um computador hoje, vai substituí-lo por um tablet daqui três a quatro anos”, afirmou o especialista em segurança em entrevista ao G1. “O Windows ainda domina o mercado de vírus. Mas acredito que a maioria dos criminosos tradicionais vai migrar para o Android em 3 ou 4 anos”.

O sistema operacional móvel do Google registrou um aumento de 472% no número de vírus desde julho de 2011. Segundo Kaspersky, há mais de 4,7 mil assinaturas de ameaças para Android atualmente. O termo “assinatura” é usado pela indústria para se referir a um registro de praga dentro de um antivírus. Uma mesma assinatura pode detectar vários códigos distintos, desde que sejam parecidos.

“A tendência é que as pessoas hoje comprem menos computadores e mais tablets”, disse Kaspersky. “Além disso, as empresas de software serão todas orientadas pelo Android. Hoje, elas primeiro desenvolvem aplicativos para Android, depois para iPhone”, explicou.

No momento, o iPhone é mais seguro que a plataforma do Google, na opinião de Kaspersky. “Os criminosos virtuais são humanos e preguiçosos. É até simples desenvolver e infectar um iPhone pela App Store. É só você registrar uma empresa falsa, assinar um acordo falso, desenvolver um aplicativo útil e plantar um malware lá”, disse.

Ele acredita que assim que o iPhone ganhar uma quota de mercado razoável, os hackers começarão a criar vírus para o aparelho, assim como aconteceu com o Mac. “Os criminosos virtuais se interessam cada vez mais pelo sistema do Mac. E usuários da Apple são ingênuos e pensam que estão seguros”, diz.

Kaspersky explica que os ataques contra o Android crescem porque os criminosos veem oportunidades de roubar informações nos celulares e tablets. “É o mesmo o que aconteceu com os computadores nos anos 1990. Os celulares estão ficando mais poderosos, com mais memória”.

Fonte: http://g1.globo.com/tecnologia/noticia/2011/12/em-3-anos-android-bater-windows-em-numero-de-virus-diz-especialista.html