Criminosos na internet desenvolveram um esquema internacional para sequestar mais de 4 milhões de computadores em 100 países, manipulando o tráfego no Netflix e outros sites para gerar US$ 14 milhões em receitas fraudulentas de publicidade, disseram procuradores federais dos Estados Unidos na quarta-feira (9).

Seis das sete pessoas acusadas são estonianos que estão sob custódia nos EUA. O outro acusado é de origem russa. Os procuradores estimam que os criminosos roubaram pelo menos US$ 14 milhões durante cinco anos.

Cerca de 500 mil computadores nos EUA foram infectados com o malware, incluindo aparelhos de usuários comuns, instituições educacionais, entidades sem fins lucrativos e agências governamentais como a Nasa, disse Preet Bharara, procurador americano em entrevista coletiva.

Os suspeitos criavam seus próprios servidores falsos para, secretamente, redirecionar o tráfego da internet para sites onde eles tinham uma fatia da receita de publicidade. O problema foi descoberto pela primeira vez na Nasa, onde 130 computadores foram infectados. Os investigadores seguiram uma trilha até a Europa Oriental, onde os réus operavam empresas disfarçadas, de acordo com a acusação.

Uma vez que os computadores eram infectados, as pessoas que visitam os sites do Netflix, ESPN e Amazon, por exemplo, eram redirecionadas para sites onde os acusados ganhavam dinheiro por cada clique nos anúncios, disseram as autoridades

Fonte:  http://g1.globo.com/tecnologia/noticia/2011/11/criminosos-roubam-us-14-milhoes-em-fraude-de-anuncios-line.html