Uma entidade brasileira identificada como PCSD foi banida do Facebook, segundo um comunicado da rede social divulgado à imprensa nesta quarta-feira (15). O grupo era responsável por, segundo a empresa, gerar falso engajamento em troca de dinheiro.

A entidade teria usado uma rede de grupos, contas e páginas do Facebook onde as pessoas podiam comprar e vender curtidas, reações, seguidores e páginas, além da troca de páginas, violando “repetidas vezes” os Padrões da Comunidade da Plataforma.

“Nós não permitimos um comportamento inautêntico coordenado e estamos banindo o PCSD de nossa plataforma”, disse a empresa. A rede era composta por 72 grupos, 50 contas e cinco páginas do Facebook no Brasil. Quem deu o alerta  ao Facebook foi o Digital Forensic Research Lab, do Atlantic Council, que tem fornecido informações em tempo real à empresa sobre ameaças de abusos e campanhas de desinformação. A rede foi detectada durante uma investigação sobre a falsa amplificação de páginas políticas na recente eleição no México.

É o segundo grande movimento do Facebook nas últimas semanas para deixar a rede social menos infestada de usuários nocivos. O primeiro dele ocorreu em julho, quando desativou 196 páginas e 87 contas no Brasil por formar uma rede coordenada para espalhar desinformação.

Essa primeira rede de páginas e contas desativadas era administrada por membros do MBL (Movimento Brasil Livre), movimento de direita que ajudou a mobilizar a sociedade para o impeachment da então presidente Dilma Rousseff em 2016.

No comunicado desta quarta, o Facebook reforçou que só no primeiro trimestre deste ano, removeram 837 milhões de conteúdos de spam e derrubaram 583 milhões de contas falsas em todo o mundo –ações tomadas antes de qualquer denúncia da comunidade ao Facebook.

Fonte: https://tecnologia.uol.com.br/noticias/redacao/2018/08/15/contra-falso-engajamento-facebook-bane-entidade-que-comprava-curtidas.htm