Os rumores de que a Microsoft estaria interessada em adquirir a Adobe ganharam força depois de informações sobre um recente encontro entre os dois principais executivos das companhias. Segundo o jornal The New York Times, um dos principais temas da conversa foi o domínio da Apple no mercado de smartphones e como uma parceria entre as duas empresas poderia combater a concorrente. O jornal disse também que a aquisição poderia estar na pauta.

“A Microsoft precisa ficar longe desse negócio, pois não tem muito a ganhar e bastante a perder”, na opinião de Preston Gralla, colunista da Computerworld e autor de mais de 25 livros de TI – incluindo o “How the Internet Works”. Para justificar sua opinião, ele cita três razões que inviabilizariam a aquisição:

1. Não ajudaria na briga contra a Apple
Na opinião de Gralla, comprar a Adobe por seu valor de mercado, algo em torno de 15 bilhões de dólares, não deixará a Microsoft mais perto da Apple no mercado de mobilidade.

“A Adobe não tem o conhecimento que falta à Microsoft ou tecnologia para telefones. O fato de Steve Jobs ter barrado o flash no iPhone diz alguma coisa”, analisa.

2. Não ajudaria na briga contra a GoogleA Adobe também não tem um conhecimento em busca, aplicações na internet ou anúncios digitais, cita Gralla. A empresa também não ajudará a combater um eventual avanço da suíte de aplicativos do Google Docs sobre os produtos Office.

3. Tiraria o foco da Microsoft
“Comprar a Adobe seria um grande desvio de foco em relação ao que a Microsoft precisa desenvolver para manter força no mercado”, considera o especialista. Segundo ele, combinar duas companhias grandes, com culturas muito diferentes, demanda bastante esforço e leva mais de um ano. “Grandes aquisições consomem muito tempo dos executivos, que, no caso da dona do Windows, precisam estar focados em brigar com a concorrência”.

Por fim, ele cita que seus argumentos não significam que a Microsoft deve ignorar uma parceria estratégica com a Adobe, com o intuito de explorar o conhecimento da companhia para melhorar suas atuais soluções. “Mas a compra seria um péssimo negócio”, conclui.

Fonte: http://idgnow.uol.com.br/mercado/2010/10/08/artigo-comprar-a-adobe-seria-inutil-para-a-microsoft/