Declaração de Dick Costolo gerou mal-entendido e levou a desentendimento com fundador da Wikipédia

A Wikipédia anunciou na segunda-feira que fará um apagão no dia 18 em protesto ao Sopa (Stop Online Piracity Act) e ao Pipa (Protect IP Act), projetos de leis antipirataria em discussão nos Estados Unidos. A enciclopédia colaborativa online segue os mesmos passos de sites como Reddit e Cheezburger, mas a iniciativa não foi aprovada unanimidade nem entre os opositores dos projetos: o CEO do Twitter, Dick Costolo, afirmou que fazer o mesmo como com o microblog seria “tolo”.

“O apagão é simplesmente tolo. Fechar um negócio global em reação a um único problema de política nacional é tolice”, escreveu Costolo ao jornalista Alex Howard e ao professor universitário Jay Rosen. O docente tuitara sobre a decisão da Wikipédia e opinava que “Twitter, Google e Facebook deveriam fazer o mesmo”. A isso, o repórter respondeu que ainda não havia confirmação sobre se as companhias o fariam. Ao citar os executivos principais de cada empresa – Costolo, Eric Schmidt e Mark Zuckerberg -, acabou obtendo uma resposta.

Algumas horas depois, o próprio Jimmy Wales, fundador da Wikipédia, interpelou o executivo do Twitter. “Você pode confirmar seu apoio ao protesto da Wikipédia? Concordo com você que o Twitter não deve entrar no apagão”, escreveu. Costolo reafirmou que estava se referindo ao fechamento do próprio site “em resposta a um tweet explícito sugerindo que não tínhamos coragem de fechar”. “Não faço INTENCIONALMENTE sic julgamentos de valor sobre organizações que não conheço bem”, continuou.

O que poderia ter sido o começo de uma discussão encerrou com Wales afirmando: “obrigado. O The Guardian interpretou você errado. Vocês são demais”. A referência ao jornal britânico indica a origem da “cobrança” que o fundador da enciclopédia colaborativa fez ao CEO do Twitter. O periódico deu a notícia sobre o tweet de Costolo com o título: “Chefe do Twitter descarta o protesto ‘tolo’ da Wikipédia contra o Sopa”.

Em respostas a outros usuários, o executivo chefe do Twitter explicou uma das razões para não fechar o microblog. Segundo ele, a rede social é “uma plataforma global em tempo real de protestos e informações sobre o debate do congresso dos EUA acerca de um tema”. Sobre o que o Twitter tem feito para combater o Sopa, que o CEO afirmou: “temos sido bastante ativos e continuaremos a ser bastante ativos. Acompanhe por aqui”.

Fonte: http://tecnologia.terra.com.br/noticias/0,,OI5562090-EI12884,00.html