Aumento começou já em janeiro e atingiu nível mais alto desde setembro de 2019

A oferta reduzida e a demanda aumentada por conta do coronavírus, fizeram com que o valor do bitcoin ultrapassasse US$ 10 mil no fim de semana, cerca de R$ 43 mil, o nível mais alto desde setembro. A criptomoeda começou a ter aumento já no mês de janeiro, já que alguns viram nela um porte seguro para o momento de preocupação financeira.

Porém, essa pode não ser a única fonte do aumento. Desde o surto da epidemia, parte da mineração de bitcoin na China foi encerrada. A BCT.Top, uma operação de mineração em Xianjiang, foi fechada junto a outras pela polícia por causa do vírus. A região foi considerada um dos “centros de mineração mais significativos da China”, em dezembro.

Os principais fabricantes de equipamentos de mineração, incluindo a Bitmain Technologies Inc. e a Canaan Creative, atrasaram os envios porque as fábricas foram fechadas. Em dezembro, 65% do mercado era controlado por mineradores chineses de bitcoin. O Antpool, pool de mineração controlado pela Bitmain, caiu da primeira para a quarta colocação em relação ao volume de produção.

O nível de mineração afeta diretamente o preço do bitcoin. Além de reduzir a quantidade de novas criptomoedas disponíveis, a recompensa pela mineração aumenta para incentivar a mineração adicional quando o nível extração cai. Além de todos esses fatores, a demanda no mais está aumentando, já que os moradores estão olhando o bitcoin como uma “possível alternativa contra a calamidade”. Enquanto os negócios em grande parte do país estão parados, a capacidade dos investidores de comprar a moeda permanece.

Fonte: https://olhardigital.com.br/coronavirus/noticia/bitcoin-atinge-r-43-mil-por-conta-do-coronavirus/96553