Robô iZac Android Bartender funciona a partir de instruções recebidas de um aplicativo para tablets Android

Filas no bar, atendentes que demoram a chegar, drinks que às vezes parecem não conter a quantidade certa das bebidas. O robô iZac Android Bartender pode ser a solução para essas questões. O autômato prepara drinks sozinho, a partir da opção escolhida pelo cliente no menu eletrônico exibido na tela de um tablet.

O mecanismo funciona a partir de um aplicativo de Android, por isso o nome do robô – que não é humanoide, ou seja, não tem nada a ver com a forma ou o jeito se movimentas dos humanos (o que caracteriza os chamados androides). O dispositivo escolhido por Nick Johnson, criador da máquina, foi o Motorola Xoom, que exibe o cardápio de drinks e comanda o autômato.

Depois que a bebida é escolhida pelo cliente, a primeira ordem que parte do Android para o robô é “espere o copo”. Nesse momento, o usuário posiciona o copo sobre a balança digital que fica entre as duas plataformas giratórias do bartender eletrônico. Então, o app avisa quantos gramas da primeira bebida devem ser dispensados pelo robô. Enquanto prepara o drink, iZac envia informações sobre o processo de volta ao tablet. Ao fim do primeiro líquido, outro comando informa quanto do segundo ingrediente deve ser colocado, e assim sucessivamente.

O iZac oferece uma cardápio de bebidas que inclui a opção “I’m feeling Lucky” (Estou com sorte, como no botão de pesquisa do Google), em que três bebidas são aleatoriamente misturadas – o que pode resultar em drinks bastante fortes, adverte Johnson.

O robô funciona a partir de duas bases giratórias que contêm as garrafas de bebidas e de uma balança digital, que faz a dosagem correta dos ingredientes do drink. Cada recipiente tem uma bomba de aquário, que usa a diferença de pressão para levar o líquido da garrafa, pela mangueira, até a “torneira” que despeja no copo – cada garrafa tem a sua saída.

O controle de saída do líquido é feito por válvulas específicas cortadas a laser. A opção atende duas demandas: o preço de construção do robô e a segurança alimentar. Com a válvula, explica o criador do iZac, não é preciso cortar o tubo por onde o líquido passa, diminuindo as chances de que a bebida entre em contrato com micro-organismos. Além disso, contanto que o fabricante tenha uma máquina de corte a laser, cada peça sai por cerca de US$ 5.

Outro problema que que Johnson precisava resolver era o da dosagem. As bebidas têm viscosidades diferentes, o que significa que navegam pelo tubo de modo diferente. Para ter uma medida precisa de quanto de cada ingrediente estava sendo dispensado no copo, a solução oi usar uma balança digital. Assim, ela pesa o copo em intervalos pequenos de tempo, e sabe quanto de conteúdo foi acrescentado – o sistema, por sua vez, calcula a partir disso quando é hora de parar.

E por que girar as garrafas? Em seu blog, o criador do robô bartender afirma que “não bastava que funcionasse, a invenção precisava se teatral”. As plataformas rotativas foram sugestão de um amigo, e Johnson gostou delas porque permitiam mostrar ao usuário de qual garrafa saía a bebida. Como uma única base para seis garrafas seria muito grande, ele optou por duas menores, para três vasilhames cada, de cada lado da balança.

Quer ver o iZac Android Bartender funcionando? Veja o vídeo feito por Johnson durante o Sidney Hackerspace, na Austrália, no início de mês (neste atalho: http://bit.ly/rZKMXu). No blog de Johnson, em inglês (http://bit.ly/svGuUo), é possível ver os detalhes de construção do robô e mapas esquemáticos do aplicativo de código aberto.

Fonte: http://tecnologia.terra.com.br/robotica/noticias/0,,OI5486971-EI18825,00.html