A afiada equipe de advogados da Apple conseguiu mais uma vitória ao banir a venda de um boneco do CEO da empresa, Steve Jobs. A proibição aconteceu logo após a fabricante anunciar um novo lote de bonecos de Jobs, depois dos consumidores terem esgotado rapidamente os primeiros 300 produzidos.

A M.I.C. Gadget, fabricante do boneco em questão, cotado a 80 dólares, recebeu um e-mail de uma empresa de advogados que representa a Apple informando que a gigante de tecnologia “não permite o uso dos direitos e marcas legais da Apple” e pediu que a companhia interrompesse imediatamente o anúncio e a venda do boneco.

Segundo a carta da Apple, “o uso não autorizado do nome e/ou imagem de uma pessoa constitui uma violação da Seção 3344 do Código Civil da Califórnia (sede da Apple), que proíbe a utilização do nome, fotografia ou imagem de qualquer pessoa em um produto sem o consentimento anterior dessa pessoa.”

Após receber a notificação, a M.I.C. enviou uma mensagem aos fãs da “maçã”: “vocês não poderão mais comprar esse boneco fenomenal. Por isso, a M.I.C. Gadget pede desculpas a Steve Jobs, Apple Inc. e sua empresa de advocacia por qualquer inconveniência causada.”

Além disso, a M.I.C. pediu que todas as pessoas que já tivessem feito um pedido do boneco de Jobs entrassem em contato com a empresa.

E a fabricante do polêmico brinquedo ainda teve a “audácia” de adicionar uma observação na mensagem:“Steve, nós podemos solicitar uma licença de marca registrada para produzir esse fenomenal boneco para todos os seus fãs da Apple? Um pensamento meio louco: talvez a Apple possa adicionar esse boneco em um pacote para todos que comprarem o iPhone 4.”

O boneco trazia Jobs em sua clássica roupa: blusa preta com gola olímpica, calça jeans e tênis, além de colocar o CEO da Apple segurando um iPhone 4 (mas sem perder o sinal, claro…) e trazer três “balões” para os consumidores escreverem suas falas favoritas do executivo.

Fonte: http://macworldbrasil.uol.com.br/noticias/2010/11/24/apple-proibe-venda-de-boneco-de-steve-jobs/