Um estudo divulgado pela empresa de segurança dinamarquesa Secunia revelou que os aplicativos da Apple são mais vulneráveis que os da Microsoft. Além disso, a empresa de Steve Jobs ainda ocupa – pela primeira vez – o primeiro lugar do ranking de empresas que apresentam mais bugs de segurança. O segundo lugar fica com a Oracle, seguido por Microsoft, HP e Adobe.

A Secunia afirma que as conclusões da pesquisa não apontam para a segurança proporcionada por cada empresa, mas sim aquelas que apresentam mais brechas em seus produtos.

De acordo com o relatório, programas da Apple como o navegador Safari, o player Quicktime e o gerenciador de mídias Quicktime não apenas não são os mais seguros como também são os que apresentam o maior número de vulnerabilidades. A fabricante do iPhone também tem se mantido constantemente à frente da Microsoft nesse quesito.  “As pessoas deveriam repensar quando acham que os produtos da Microsoft representam a maior ameaça na Internet”, diz a pesquisa.

O documento aponta ainda que, apesar dos investimentos, nenhuma das empresas que ocupam as sete primeiras colocações do ranking conseguiu diminuir os bugs de segurança em seus produtos. Pelo contrário, o número de vulnerabilidades de cada uma subiu entre 136% e 440%, desde 2005.

A análise também corrobora a percepção geral de que uma elevada participação do mercado de um determinado aplicativo se correlaciona com um elevado número de vulnerabilidades. Ou seja, quanto  mais popular é um aplicativo, mais bugs de segurança ele vai apresentar. A Secunia também recomenda que as empresas adotem novas tecnologias que permitam a instalação automática de atualizações de segurança nos programas.

Para visualizar o estudo da Secunia, clique aqui (PDF, em inglês).

Fonte: http://idgnow.uol.com.br/seguranca/2010/07/21/aplicativos-da-apple-sao-mais-vulneraveis-que-os-da-microsoft-diz-estudo/