Desde terça-feira (8), o Google está realizando em sua sede na Califórnia a edição anual de sua conferência para desenvolvedores chamada de Google I/O
2018. Nesse evento, a gigante da tecnologia costuma anunciar as maiores novidades que está preparada para implementar em seus produtos e serviços ao longo do ano. E dessa vez não foi diferente. Uma delas, porém, merece destaque: o novo sistema operacional da empresa ” Android P“.

Em paralelo, o Grupo Cofina, o maior grupo de comunicação em Portugal e detentor de marcas tão conhecidas do público como o jornal Correio da Manhã ou a revista Sábado, anunciou recentemente o lançamento de um novo projeto que também merece destaque: o Nossa Aposta Bónus, através do qual você pode ganhar até 300 euros de bônus de boas vindas.

O vice-presidente de engenharia para Android, Dave Burke, foi o responsável por subir ao palco para contar as novidades. Além de comemorar os dez anos do sistema operacional e reforçar a intenção da empresa de permanecer oferecendo o recurso gratuitamente para todos, ele logo anunciou que o novo Android P foi profundamente impactado pelas mudanças proporcionadas pela inteligência artificial

O que muda no Android P?

E de fato a nova tecnologia parece estar em todo lugar. Uma das ferramentas na qual a IA parece mais evidente é na adaptação automática do brilho da tela.

Depois de configurar qual sua preferência de acordo com a luminosidade de um ambiente padrão, o sistema vai entender sozinho suas preferências e atualizar o brilho da tela automaticamente de acordo com as mudanças de ambiente. Assim, a empresa espera que você nunca mais precise fazer aquela “cabaninha” com as mãos para conseguir enxergar a tela num lugar muito ensolarado, por exemplo.

Ainda com relação ao brilho na tela, o Android P terá uma função que vai te ajudar a “dormir mais cedo” ou pelo menos na hora que você queria. Configurando o horário que deseja pegar no sono, o sistema vai te oferecer uma opção de tela em preto e branco. Com menos luzes estimulantes, o cérebro consegue entender que é hora de “diminuir o ritmo”

A mudança que também inclui desativar 100% das notificações do aparelho e seus aplicativos demonstrou, ao mesmo tempo, que o Google está atento às necessidades dos usuários, mas também surpreendeu pela atitude altruísta de ajudar as pessoas a usarem menos seu dispositivo, ao invés de sequestrar a atenção do usuário pelo máximo de tempo possível. Essea, porém, não foi a única mudança anunciada nesse sentido. Pelo contrário.

O Android P também vai te ajudar a controlar melhor o tempo que você gasta com cada aplicativo do celular. O sistema vai permitir que você estabeleça um limite de uso, por exemplo, do YouTube ou do Facebook, e te avisar quando esse prazo estiver perto do fim. Assim, os usuários poderão colocar um fim naquela sensação de que queria apenas ver um vídeo e acabou sendo sugado por uma sequência de autoplays infinitos. Veja um exemplo desse recurso na tela do meio da imagem acima.

O CEO do Google, Sumar Pichai, também mostrou estar antenado com os novos termos digitais quando mencionou que após a FOMO (sigla em inglês para “medo de estar perdendo algo”) agora existe também a JOMO (sigla em inglês para “prazer de estar perdendo algo”). Ele tocou no assunto pouco antes de explicar que o Google quer ajudar as pessoas a passarem mais tempo com a família, com a comunidade local e aproveitando melhor os momentos reais, ao invés dos digitais.