Preocupado com a excessiva exposição da vida de crianças e adolescentes na internet, o governo de um Estado alemão decidiu ensinar seus alunos a manter a discrição na rede. Escolas públicas da Renânia do Norte-Vestfália devem orientar seus estudantes a utilizar sites como Facebook e Twitter, concedendo uma “carteira de habilitação”.

De acordo com reportagem da revista Der Spiegel, muitos dos 2 milhões de usuários da rede social Facebook no país são jovens que podem não pensar duas vezes antes de publicar online, por exemplo, fotos suas e de amigos desacordados após a ingestão excessiva de bebida alcoólica em uma festa. Sites como esse têm sido criticados no país devido à preocupação quanto à privacidade das informações fornecidas por seus usuários.

A displicência e o descuido podem ser arriscados. Afinal de contas, potenciais empregadores também sabem usar essas ferramentas e podem ter acesso a esses dados, algo que pode afetar negativamente a vida profissional e privada.

– Nosso objetivo é explicar que a internet não proporciona apenas chances e oportunidades, mas também oferece riscos que os estudantes precisam entender. Muitos jovens não têm consciência de quantos detalhes revelam sobre si próprios – explica a ministra da Mídia do Estado, Angelica Schwall-Düren.

Angelica afirma que o governo deseja criar uma “carteira de habilitação em alfabetização em mídia”. Para obtê-la, os estudantes passariam por um processo de aprendizagem para lidar responsavelmente com a internet, adquirindo autonomia.

Plano ainda precisa ser detalhado pelo governo

Representantes dos professores reagiram aos planos com uma mistura de interesse e cautela.

– Como se portar no mundo virtual e como usar as novas mídias já são tópicos diários nas nossas escolas – disse Michael Schulte, diretor do sindicato GEW.

Schulte afirma, entretanto, ter percebido “diferenças culturais palpáveis” entre a sua geração e a de seus alunos no que se refere a novas mídias. Ele teme que os professores possam não estar preparados para lidar com as ferramentas.

O governo ainda precisa determinar como as escolas ajudarão a tornar os alunos aptos para a era digital. Beate Hoffmann, do Ministério da Mídia estadual, declarou que um grupo de estudos será criado quando os políticos retornarem do recesso de verão.

Fonte: http://zerohora.clicrbs.com.br/zerohora/jsp/default.jsp?uf=1&local=1&section=Geral&newsID=a2999274.xml